Coma isso e diminua a ansiedade

Poderosos nutrientes dos melhores alimentos para acabar com a ansiedade.

Alimentação contra a ansiedade

A ansiedade está mais presente em nossas vidas do que imaginamos. Ela vai do grau mais leve até os casos mais graves, os quais necessitam de tratamentos severos com a presença de psicoterapia e medicação. Os sintomas vão desde aquelas vontades incontroláveis de atacar a geladeira até as crises que envolvem nervosismo, tremores, tensão muscular, sudorese, palpitações, tonturas, medos e insônia

Esse modo de viver, com a cabeça cheia de preocupações, nervosismo a flor da pele gera uma tensão constante que traz alterações de humor aumentando a produção de cortisol, um hormônio associado ao acúmulo de gordura no abdômen. O quê você escolhe para comer no dia a dia aliado a prática de exercícios físicos, pode te ajudar a ‘segurar’ a ansiedade e trazer bem estar e mais qualidade de vida.

O estresse da vida moderna é um grande vilão para doenças como a ansiedade, mas problemas nas substâncias químicas cerebrais conhecidas como neurotransmissores, que são formados também pela alimentação e influências físicas, são decisivos no processo do desenvolvimento da patologia.

A lista dos nutrientes que diminuem a ansiedade.

Ômega-3: A suplementação com essa gordura benéfica breca a ansiedade ao reduzir a concentração de citocinas, substâncias consideradas pró-inflamatórias. Os ômegas 3 e 6 facilitam a atuação de neurotransmissores como a serotonina, que cria a sensação de bem-estar.
Fontes: linhaça, óleos vegetais, azeite de oliva e peixes de água fria, como atum, sardinha e salmão.

Triptofano: Esse aminoácido essencial é precursor da tal serotonina. Pessoas com concentrações normais da substância têm menos episódios de ansiedade. Aposte também em carboidratos complexos, como os cereais integrais, que estabilizam os níveis de insulina. É que esse hormônio, responsável por botar o açúcar para dentro das células, deixa o triptofano mais disponível no sangue.
Fontes: banana, leite, arroz integral, soja, feijão, chocolate amargo, peixe, aves, carne bovina, manga e abóbora.

Magnésio: A enzima que converte o triptofano em serotonina é dependente desse mineral e, daí, sua presença ajuda a acalmar os nervos. Além disso, o magnésio bloqueia um receptor chamado NMDA, que causa uma excitação exagerada no cérebro. A consequência são sintomas como irritação, ansiedade e estresse.
Fontes: cereais e grãos integrais, abacate, nozes, castanhas, amêndoas e vegetais folhosos.

Vitamina C: Estudos com cobaias mostram que ela ajuda a reduzir a produção de cortisol, hormônio do estresse. E esse não é seu único trunfo: ela combate os radicais livres, moléculas nocivas que fazem a festa em momentos de tensão.
Fontes: acerola, limão, laranja, morango, caju, brócolis e rúcula.

Arginina e lisina: Pesquisas indicam que combinar esses dois aminoácidos diminuiria a concentração de cortisol pelo corpo, garantindo uma baita tranquilidade.
Fontes: cacau, nozes, castanha de caju e semente de girassol.

Cálcio: Entre suas tarefas estão administrar a transmissão de impulsos nervosos e, junto com o magnésio, gerenciar a contração muscular. A ausência do mineral é capaz de gerar muita agitação.
Fontes: leite e derivados, vegetais verde-escuros, salmão e gergelim.

Complexo B: Todas as vitaminas desse grupo mantêm o corpo em ordem. Mas, a B6 e o ácido fólico são essenciais para a formação do neurotransmissor serotonina. Sem essa dupla do complexo B somada ao triptofano e ao magnésio, ele não é criado.
Fontes: feijões, lentilha, grão-de-bico, cereais integrais, aspargos e couve.

Fonte: enirvana.com.br

Compartilhe por favor: